30 de outubro de 2012

Carta ao meu-bem-querer

Para ouvir: Relicário - Nando Reis 



Rio de Janeiro, 27 de setembro, quinta-feira.

Amor meu, antes de você, muitas cicatrizes formaram-se e muitos vazios causaram a maioria das minhas dores e você é o responsável pela cura das minhas frustrações. E não há nada melhor do que um amor bonito, para cuidar dos estragos de uma ilusão.
              
Você sabe que nossa história não é uma dessas que começa e demora até que tudo se desenvolva, mas eu tenho certeza que fiquei muito tempo a sua espera, sem saber que seria você o meu-bem-querer. Há uma leveza estranha correndo em mim e não sei muito bem o começo disso tudo, mas sei onde termina: No seu abraço. Sei que sinto muito mais do que posso demonstrar e que posso te fazer muito mais feliz do que tenho feito (se é que tenho feito), mas eu preciso saber a hora certa de fazer tudo isso. Eu gosto muito de tudo que envolva você, e acolher teus defeitos é o que me aconteceu de melhor. E não pense que encarar teus mitos e teus ataques artísticos é fácil, porque não é... Mas é muito bom te ver dizendo que tudo não passou de uma brincadeira e que sua intenção era me testar. Mas me testar por quê? Ainda restam dúvidas de que não seria fácil se você fosse embora? Eu preciso que saiba que os meus melhores risos, são com você e que me fazer sorrir (mesmo sendo boba e rindo das coisas mais banais do mundo) não é a tarefa mais fácil que alguém pode conseguir. Aliás, dou risadas para agradar os outros... Mas você é que me faz sorrir de verdade, por dentro e por fora e transforma meus refúgios em um arco-íris colorido, que já estava com saudade de ter cor.

 Espero que as desavenças desse mundo torto que me faz perder a voz, não nos deixe longe um do outro porque estar longe de você é como perder a melhor parte de mim e não quero ter que transformar solidão em poesia, não agora... Não com você. Nem por você. E só eu sei o quanto o teu sorriso me acomoda numa felicidade simples e quanto o teu estresse me faz querer ficar perto, só pra ter certeza que é ficção. E que uma hora você vai rir, me beijar e dizer em tom cômico o quanto é angustiante (quase) me ver chorar. E só eu sei o quanto é difícil te deixar, sabendo que a melhor opção seria ficar. Ficar com você, ficar por você, pela saudade, pela distância... Por nós dois. E só eu sei, o quanto dói ir. Mas, também sei que ao te ver, vou sorrir um daqueles sorrisos que a gente só dá, uma ou duas vezes na vida. E é por essas coisas, que só eu sei, que resolvi te contar o quanto é bom encontrar alguém, sem procurar. Sem definir. Sem criar. Porque foi assim que tive a certeza de quem sou: Sou sua... E pude ver que já estava destinado a ser e que assim será.

Com amor,
 sua Lyv.

4 comentários:

  1. Lyv, sua meiga e apaixonada! Eu realmente amei e me sinto acolhida por todas as suas palavras escritas, ops digitadas aí em cima. É como... não sei, você escrevesse por mim, às vezes.

    Amei, de fato. Parabéns, viu?

    Beijos,
    Is.

    www.cadernoderisos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oooi,sou a Ciin ( alegriasdeumcoração) E eu realmente amei esse texto seu, muito perfeito e inspirador, parabéns pelo ótimo Blog,


    beijos :)

    ResponderExcluir

Conta pra mim o que achou, vou adorar responder.